Fatos marcantes do MotoGP Tailândia

Depois de levar o “X” por três vezes (momento em que um piloto ultrapassa mas logo em seguida é ultrapassado novamente, normalmente pela abertura da tangência do primeiro e o “desenho” das trajetórias fica semelhante a um X), Márquez derrota Dovizioso em uma disputa épica na Tailândia e vence pela sétima vez em 2018.

A surpreendente ressurreição da Yahama, a saída de Pedrosa da corrida e Márquez mais próximo do seu 5º título de MotoGP. Confira em nosso artigo esse e outros fatos que mais marcaram a corrida do MotoGP Tailândia.

Marc Márquez vence Dovizioso em mais um duelo

Após ser derrotado quatro vezes em últimas voltas, Marc Márquez alcança vitória e se vinga no GP da Tailândia neste domingo (7). O piloto aproveitou seu melhor rendimento no setor dois e três da pista de Buriram e faz uma última volta impecável após derrotar Andrea Dovizioso e chega na curva final com vantagem.

Essa foi sua sétima vitória na temporada 2018 e fica ainda mais perto de conquistar o quinto título na categoria que será o seu sétimo em Mundiais de Motovelocidade.

Na corrida, Marc Márquez largou na ponta, com Rossi e Dovizioso completando a primeira fila. O espanhol agora tem 271 pontos e faltam apenas 4 etapas, tudo indica que o título já está nas mãos de Márquez.

“É claro que estou muito feliz hoje porque é a primeira vez que eu venci o Dovi dessa forma. Nós éramos muito iguais e minha estratégia era tentar atacar para abrir uma brecha e evitar que ela caísse na última volta.” comenta Márquez.

“Mas Dovi tinha um ritmo muito bom e eu estava lutando com o pneu dianteiro, então não consegui. Em vez disso, eu apenas tentei controlar os pneus e ficar com ele. Honestamente, eu não estava tão confiante em ir para a última volta porque perdi muitos confrontos com ele no passado. Mas dessa vez, trocamos de papéis e – usei o estilo de Dovi e Dovi usou o estilo de Márquez! – e isso funcionou para ultrapassá-lo na saída da curva.” concluiu.

Viñales e Rossi fizeram a “ressurreição” da Yamaha no MotoGP Tailândia.

A Yamaha estava enfrentando uma crise onde tem 24 oportunidades, não havia sido capaz de ganhar uma única corrida sequer. No entanto, isso mudou na Tailândia, quando Maverick Viñales e Valentino Rossi deram um passo importante na última corrida, com o primeiro conquistando o primeiro pódio da equipe em cinco corridas e o último terminando em quarto.

Viñales explicou que poderia ter aproveitado a força da moto nas curvas rápidas novamente em Buriram.

“Durante este fim de semana nós melhoramos muito. Infelizmente, eu não estava forte o suficiente para o pódia, mas ainda foi uma corrida muito melhor do que a que tivemos nas últimas três ou quatro etapas. Eu sempre fiquei na frente, em todas as sessões. Nossos principais rivais foram um pouco mais rápidos e precisamos entender se essa pista nos ajudou ou se, na realidade, avançamos um passo.” comentou Vinãles.

Pedrosa se recuperava e buscava o seu primeiro pódio de 2018, mas perde a frente na curva 5 a sete voltas do fim, saindo da corrida.

O piloto da Honda, Dani Pedrosa, comentou que havia ritmo para vencer o GP da Tailândia, mas sentiu que sua corrida foi comprometida por uma “enorme desvantagem” relacionada a escolha dos pneus.

Pedrosa, que irá se aposentar do campeonato no final do ano, está vivendo sua pior temporada no mundial. Sua melhor posição neste ano foi um quinto lugar e depois de alcançar o 11º lugar na primeira volta, o espanhol conseguiu se recuperar até chegar nos quatro primeiros, Andrea Dovizioso, seu companheiro de equipe Marc Márquez e as Yamahas de Valentino Rossi e Maverick Viñales.

Sua tentativa de passá-los acabou frustrada quando ele perdeu a frente na curva 5 a sete voltas do fim, saindo da corrida.

“Tive a sensação de que havia potencial para vencer, obviamente, em relação a ritmo”, disse Pedrosa após a corrida.

Pedrosa reforça que não teve opção e foi obrigado a utilizar o pneu duro da Michelin, mas afirmou que isso o prejudicou, enquanto lutava para aquecer o pneu.

“Levou-me cinco voltas e tive de fazer duas voltas extras de aquecimento antes do grid para limpar o pneu. Mesmo assim, quando eu chequei, meus rivais estavam com muito mais aderência naquele momento. Foi uma enorme desvantagem.” diz Pedrosa.

Márquez faz história e se torna o primeiro piloto a conseguir pole após sair do Q1

O espanhol da Honda marcou sua estreia no Circuito de Buriram no calendário do motociclismo de velocidade tornando-se o primeiro piloto a ter de passar pela Q1 que acabou por ser o mais rápido, em uma qualificação que lhe garantiu a 50º pole da carreira.

O espanhol líder do campeonato fez o tempo de 1m30.088s. Ele passou pelo Q1, sendo o primeiro piloto da história a largar na pole após vir da “repescagem”.

Até a próxima no MotoGP do Japão!

Quais emoções será que o MotoGP do Japão nos reserva? Animado para as próximas corridas? Então fique ligado e até a próxima!

Gostou dessa matéria? Enquanto aguarda a próxima corrida, confira algumas dicas sobre quando você deve alinhar sua moto.

Créditos da foto: Motosport, Gold and Gosse/LAT images.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *